Projetos em desenvolvimento em 2019

 

Projeto Coordenador(a) Edital
Café Filosófico Marival Balduíno dos Santos Edital HTO n.º 042/2018

Cine-debate II: a questão africana, afro-brasileira e indígena em pauta

Davina Marques Edital HTO n.º 042/2018
Comunic@Jovem: Educomunicação, cultura e protagonismo juvenil em rede Rodrigo Crivelaro Edital HTO n.º 042/2018

Educação de Jovens e Adultos (EJA) e o Ensino Profissional e Técnológico (EPT)

Cássia Moretti Edital HTO n.º 042/2018
Fomento ao uso das tecnologias sociais pelo IFSP Campus Hortolândia como instrumento de interação com a comunidade e disseminação da cultura de inovação e inclusão social Luiz Claudio Marangoni Edital HTO n.º 042/2018

Hora Literária:conversas sobre livros e autores

Nirlei Maria Oliveira Edital HTO n.º 042/2018
Horta Experimental: saberes e sabores: saberes e sabores Douglas Beiro Edital HTO n.º 042/2018

Mata ciliar: teoria e prática

Douglas Beiro Edital HTO n.º 042/2018

Memórias II: encontros com raízes africanas e indígenas

Davina Marques Edital HTO n.º 042/2018

Palavras Temperadas: os sabores e as memórias gastronômica na literatura

Nirlei Maria Oliveira Edital HTO n.º 042/2018
ParticipAÇÃO: protagonismo juvenil em grêmio estudantil Rodrigo Crivelaro Edital HTO n.º 042/2018

 

Café Filosófico

O projeto “Café Filosófico: um papo legal sobre a vida cotidiana” quer ser uma atividade voltada para o corpo discente, docente e demais servidores do Instituto Federal de São Paulo – Campus Hortolândia, bem como a comunidade externa, em atendimento a um chamado do Edital PRX nº 042 - Programa Institucional de Apoio a Ações de Extensão do IFSP 2018 O projeto foi desenvolvido no Campus Hortolândia, no ano de 2016, com uma adesão e aceitação do público alvo. Teve sua duração de março a setembro de 2016. O nome ‘Café Filosófico’ remonta a uma tradição existente desde pelo menos a década de 1990, originalmente francesa, de encontros informais em que se discutem ideias, animados por uma pessoa de formação intelectual, geralmente (mas não sempre) um professor de Filosofia. Tal projeto visa um vínculo institucional de extensão, mas visa, em especial, abordar a filosofia de forma viva e dinâmica, tornando-a mais próxima da vida das pessoas, especialmente às que a desconhece. O ser humano é naturalmente um filósofo. O fazer perguntas básicas (questionamentos)é o que o move e dá sentido à sua vida. A proposta é realizar mensalmente o evento no campus. O turno preferencial será o vespertino,podendo realizá-lo em outro turno fora do campus, ofertando-o de forma itinerante nas escolas da cidade de Hortolândia. Diferente de 2016 e, com uma tônica nova, queremos propor discussão tendo um tema norteador. Para este ano, o tema será a Tolerância, importante para a vida em sociedade.

 

Cine-debate II: a questão africana, afro-brasileira e indígena em pauta

O projeto Cine-debate II: a questão africana, afro-brasileira e indígena em pauta pretende propor reflexões sobre a questão africana, afro-brasileira e indígena no câmpus tomando como ponto de partida produções cinematográficas, televisivas, videoartes e demais produtos audiovisuais relacionados à temática do projeto. As obras serão apresentadas aos participantes em sessões mediadas por intermédio dos bolsistas e da professora responsável pelo projeto, com o intuito de funcionar para a promoção de sensibilidade à causa da cidadania e da democracia, a fim de fortalecer práticas que combatam o preconceito e as discriminações. Além disso, trata-se de criar, no câmpus, um espaço privilegiado de cultura, com acesso à comunidade externa.

 

Comunic@Jovem: Educomunicação, cultura e protagonismo juvenil em rede

 

O projeto Comunic@ Jovem:educomunicação, cultura e protagonismo juvenil em rede tem por objetivo criar uma rede de coletivos jovens de educomunicação no IFSP-HTO e em escolas públicas de Hortolândia fomentando a democratização dos meios de comunicação e o protagonismo juvenil. Através da rede de coletivos, os jovens educomunicadores poderão produzir e disseminar conteúdos relacionados às escolas, ao município, a região e a temas de seu interesse utilizando diversas mídias e técnicas de comunicação, do jornalismo social, comunitário e colaborativo. A formação em direitos humanos e o reconhecimento da cultura e comunicação como direitos da juventude são vistos como essências na formação de educomunicadores visando a democratização dos meios e da cultura de paz.

 

Educação de Jovens e Adultos (EJA) e o Ensino Profissional e Técnológico (EPT)

Parte-se do pressuposto que os alunos da Educação de Jovens e Adultos do ensino fundamental têm pouca ou quase nenhuma oportunidade de qualificação com conhecimentos ligados as áreas de tecnologias. Tendo em vista tratar-se de um público que por vários motivos não teve acesso à escolarização na idade oportuna, o que dificulta ainda mais a oportunidade de uma qualificação profissional. Desta forma, busca-se a partir de uma parceria com a Prefeitura Municipal de Hortolândia e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Campus Hortolândia, desenvolver cursos, minicursos, oficinas e palestras, relacionadas a qualificação profissional para alunos da Educação de Jovens e Adultos da EMEF Amanda I CAIC, na cidade de Hortolândia. O Projeto, além de oferecer as oportunidades ligadas ao mundo do trabalho aos discentes da EJA, também busca auxiliar a aproximação deste público com os professores da EBTT para um melhor desempenho destes docentes em cursos a serem ofertados em PROEJA já aprovados em PDI para o exercício de 2020.

 

Fomento ao uso das tecnologias sociais pelo IFSP Campus Hortolândia como instrumento de interação com a comunidade e disseminação da cultura de inovação e inclusão social.

Tecnologias sociais podem ser definidas como um conjunto de técnicas, metodologias transformadoras, desenvolvidas e/ou aplicadas na interação com a população e apropriadas por ela, que representam soluções para inclusão social e melhoria das condições de vida (INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL, 2009). Assim sendo, sua aplicabilidade dentro das políticas de Extensão dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia mostra-se alinhada à sua missão institucional de disseminação da cultura da inovação e inclusão no âmbito da Educação Profissional e Tecnológica. O campus Hortolândia atua oferecendo à comunidade cursos nos eixos tecnológicos de controle e processos industriais e de informação e comunicação, além de licenciatura. Tal atuação contribui para difusão da chamada tecnologia convencional nos termos definidos pela UNESCO como “[...] o conjunto de conhecimentos científicos ou empíricos diretamente aplicáveis à produção ou melhoria de bens ou serviços” (UNESCO, 2009). Além desta atuação, há o desejo e a necessidade de oferecer às comunidades internas e externas, elementos conceituais e práticas no aprendizado da Ciência e da Tecnologia que adquiram significado, utilidade e ou soluções que tenham concreticidade no contexto das comunidades acadêmica e externa, atendendo também às suas demandas. Este projeto visa oferecer à comunidade interna e externa, por meio de palestras, oficinas e workshops, ferramentas práticas e conceituais que estimulem a cultura da inovação tecnológica com foco na busca de soluções aos problemas da comunidade e que estimulem a criatividade e as metodologias de aprendizagem ativa.

 

Hora Literária:conversas sobre livros e autores

O projeto de extensão Hora Literária:conversas sobre livros e autores tem por objetivo geral oferecer possibilidades para o desenvolvimento da formação de leitores e o estímulo à leitura junto aos alunos do ensino médio do município de Hortolândia. O projeto pretende estabelecer um espaço para a leitura voluntária e o compartilhamento através de estratégias de mediação, priorizando as competências da leitura, escrita e comunicação, utilizando-se de ações com criatividade, participação e o prazer da leitura por parte dos estudantes.

Horta experimental: saberes e sabores

O Projeto “Horta Experimental: saberes e sabores” tem como escopo principal a elaboração de saberes em torno da construção de uma horta comunitária no Câmpus Hortolândia (IFSP).

 

 

Mata ciliar: teoria e prática

Os rios fazem parte da História humana. Rios famosos estão presentes nas principais civilizações do passado: Tigre, Eufrates, Nilo, Ganges, etc. Avançando no tempo, a sociedade pós-revolução industrial tem causado muitos impactos negativos sobre os cursos d’águas, mesmo sabendo de sua enorme importância social e ambiental. Mirando os rios de nossa comunidade, perguntamos: como estão? A qualidade de suas águas? Servem para abastecimento? Têm matas ciliares? Pensando nisso, as matas ciliares são ambientes que protegem os rios da erosão, favorecem a biodiversidade, facilitam o fluxo gênico, etc. Sobre suas condições ambientais: está degradada? É biodiversa, a ponto de poder fornecer mudas de espécies arbóreas para outras áreas em recuperação? O foco deste projeto é construir práticas e saberes sobre matas ciliares.

 

 

Memórias II: encontros com raízes africanas e indígenas

Trata-se de resumo de 10 horas semanais de dois bolsistas, multiplicado por 8 meses de projeto, realizando o cronograma de atividades proposto. São ações de extensão do nosso projeto: a. Sensibilização com exibição de filmes: um documentário sobre a diversidade indígena brasileira e outro sobre a diversidade africana; b. Rodas de conversa Memórias africanas e Memórias Indígenas - com mães, avós de alunos e servidores (Encontros com Angola: a partir de um aluno angolano do Curso de Licenciatura, fazer a aproximação do grupo que vive na cidade para conhecer suas histórias); c. Exposição de fotos e textos produzidos pelos alunos sobre os temas; d. Material disponibilizado pelo nosso projeto Comunic@JovemIFSP, rádio e jornal. Etapa 1 – Levantamento das informações e convocação dos participantes a) Organizar reuniões com os participantes para a estruturação, distribuição de atividades e orientações quanto à execução do projeto; b) Identificar e selecionar o bolsista do projeto; c) Buscar parcerias e colaboradores nas escolas, associações de bairros, grupo de escritores, Secretarias de Educação, Cultura, etc. para contribuir com o projeto. Convidar, em especial, membros do grupo de angolanos residentes na cidade. Etapa 2 – Coleta de narrativas (com o bolsista) a) Gravar ou registrar de forma escrita as participações de membros da comunidade. Etapa 3 – Organização do material (com o bolsista) a) Apresentar o material à comunidade em evento para isso destinado; b) Definir como será divulgado o material. Etapa 4 – Avaliação (com o bolsista) a) Organizar a avaliação geral do projeto; b) Elaborar relatório, conforme cronograma da PRX.

 

 

Palavras Temperadas: os sabores e as memórias gastronômica na literatura

O projeto tem objetivo estimular a leitura e a identificação da relação dos textos com a comida, nas diversas formas como são tratadas e apresentadas pelos autores, seja pelo requinte do paladar, pela forma de elaboração das receitas e degustação, ou seja pela ausência da comida como tema de várias obras. Além deste objetivo, pretende-se estimular o resgate através da escrita das memórias gastronômicas dos participantes e a elaboração de um cardápio literário.

 

 

ParticipAÇÃO: protagonismo juvenil em grêmio estudantil

O projeto tem por objetivo a criação de rede de Grêmios estudantis, possibilidade a formação e a produção de conteúdos para utilização em espaços estudantis, reconhecendo os Grêmios como um espaço de resistência, atuação e formação de lideranças jovens.