Residência Pedagógica

 

O Programa

O Programa de Residência Pedagógica é um programa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, que tem por finalidade fomentar projetos institucionais de residência pedagógica implementados por Instituições de Ensino Superior, contribuindo para o aperfeiçoamento da formação inicial de professores da educação básica nos cursos de licenciatura.

Objetivos

  1. Fortalecer e aprofundar a formação teórico-prática de estudantes de cursos de licenciatura;
  2. Contribuir para a construção da identidade profissional docente dos licenciandos;
  3. Estabelecer corresponsabilidade entre IES, redes de ensino e escolas na formação inicial de professores;
  4. Valorizar a experiência dos professores da educação básica na preparação dos licenciandos para a sua futura atuação profissional;
  5. Induzir a pesquisa colaborativa e a produção acadêmica com base nas experiências vivenciadas em sala de aula.

Como funciona

  • Os projetos institucionais a serem apoiados pela CAPES no âmbito do PRP serão selecionados por meio de editais, os quais estabelecerão os requisitos e os procedimentos atinentes à participação das IES interessadas.
  • O projeto institucional deve ser desenvolvido pela IES de maneira articulada com as redes de ensino e com as escolas públicas de educação básica, contemplando diferentes aspectos e dimensões da residência pedagógica.
  • O PRP será desenvolvido em regime de colaboração entre a União, os estados, os municípios e o Distrito Federal e as IES selecionadas, formalizado por meio de Acordo de Cooperação Técnica - ACT firmado entre a CAPES e cada IES participante, bem como pela adesão ao PRP pelas redes de ensino mediante habilitação de suas unidades escolares para participarem como escolas-campo.

Modalidades de bolsa

No Programa de Residência Pedagógica serão concedidas as seguintes modalidades de bolsa:

  1. Residente: para discentes com matrícula ativa em curso de licenciatura que tenham cursado o mínimo de 50% do curso ou que estejam cursando a partir do 5º período, no valor de R$400,00 (quatrocentos reais);
  2. Coordenador Institucional: para o docente da IES, responsável pela execução do projeto institucional de Residência Pedagógica, no valor de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais);
  3. Docente Orientador: para docente da IES responsável por planejar e orientar as atividades dos residentes de seu núcleo de residência pedagógica, no valor R$1.400,00 (mil e quatrocentos reais);
  4. Preceptor: para professor da escola de educação básica responsável por acompanhar e orientar os residentes nas atividades desenvolvidas na escola-campo, no valor de R$ 765,00 (setecentos e sessenta e cinco reais).

 

Você encontra mais informações e documentação oficial no site da Capes pela Plataforma gov.br.

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA (LEM)

 

O Laboratório de Ensino de Matemática é um espaço educativo específico para a realização de pesquisas, experiências e aulas de matemática. Além de ser um local para guardar materiais de ensino, também é reservado para os(as) docentes planejarem suas aulas e atividades, tendo um rol de materiais à sua disposição e, assim, discutirem projetos, tendências e inovações. Também é um local para criação, produção e desenvolvimento de materiais didáticos que possam auxiliar a prática pedagógica docente, potencializando ou transformando o ensino de matemática.

O Laboratório de Ensino de Matemática do câmpus Hortolândia conta com materiais pedagógicos tais como: sólidos geométricos, jogos, tangrans, material dourado, dentre outros. É utilizado tanto para o curso de Licenciatura em Matemática quanto para os outros cursos que têm disciplinas de Matemática em seu currículo, como os cursos técnicos integrados ao Ensino Médio. Na Licenciatura em Matemática, as disciplinas atendidas são: Laboratório de Ensino de Matemática; Práticas Docente I, II, III e IV; História da Matemática; História da Ciência e da Tecnologia; Tecnologias da Informação no Ensino da Matemática.

Além dos materiais descritos abaixo, o Laboratório de Ensino de Matemática conta com livros didáticos, paradidáticos e de literaturas de divulgação matemática; bem como com materiais produzidos pelos(as) estudantes em atividades de Semanas Nacionais de Ciências e Tecnologia, de Semanas da Matemática, dentre outras. Também, o LEM possui 10 notebooks e 10 HDs externos para uso dos(as) professores(as) e estudantes em trabalhos das disciplinas e outros projetos.

Equipamentos do LEM

Equipamento

Quantidade

Ábaco

1

Área do Círculo

6

Área do Círculo de Feltro

1

Área dos Polígonos

6

Apostila Ensino Fundamental

1

Apostila Ensino Médio

1

Área dos Polígonos

1

Jogo Avançando com o Resto

5

Boliche

1

Bolas de sinuca

4

Cilindro

1

Cubo da Soma

10

Ciclo Trigonométrico

11

Ciclo Trigonométrico Imantado

1

Ciclo trigonométrico com triângulos

1

Damas

5

Dominó da Divisão

1

Dominó de Equações

5

Dominó 4 operações

1

Frações Circulares + Prancha c/ estudo de Ângulos

10

Estudo dos ângulos

5

Fichas 2 Cores

10

Frações circulares

1

Ficha 2 Cores E.V.A.

20

Geoplano Circular

10

Geoplano Quadrado

10

Jogando com as 4 Operações

5

Jogando com a Álgebra

12

Kit Álgebra

6

Kit Álgebra de Feltro

1

Kit Áreas e Volumes

20

Kit Geometria Plana

5

Kit polinômios

1

Material Dourado

2

Mosaico

6

Mosaico de feltro

1

Mandala Trigonométrica

10

Notebooks (especificar)

10

Numeral e quantidade com Libras

1

Probabilidado

6

Polinômios com Prancha

10

Produto com dadinhos

7

Prancha para Gráficos

11

Prancha para Gráficos

10

Pirâmide

3

Poliminós

5

Produto de Polinômios

19

Prisma

4

Prancha Trigonométrica

11

Quadro Verde

1

Jogo da Roleta Matemática

5

Relações Métricas dos Triângulos Retângulos

2

Roleta Matemática

5

Sólidos Geométricos

7

Sólidos geométricos planificados

9

Torre de Hanói

6

Tangram Quadrado

1

Tangram Quadrado de Feltro

1

Triângulos retângulos

6

Trigominó

5

Xadrez Escolar

25

 

 

 

 

O EVENTO

A Semana de Educação Matemática "Docência em Matemática: aprendizagens, desafios e possibilidades" Desde 2018 o curso de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Câmpus Hortolândia, desenvolve, anualmente, a Semana de Educação Matemática. Este evento tem por objetivo reunir estudantes e professores tanto da comunidade interna, quanto da externa, além de pessoas que tenham interesse no assunto, para juntos refletirem sobre práticas docentes e discentes, projetos e pesquisas tendo como foco principal, a Educação Matemática. O evento proporciona o encontro de pessoas que atuam ou têm interesse na área, promovendo o compartilhamento de diversas experiências. A cada edição o evento vem aprimorando o seu formato e assim, amplia o seu alcance, reunindo trabalhos de diversas áreas do ensino e do conhecimento. São bem-vindos todos os trabalhos que visam a Educação, visto que a escola é um lugar de interdisciplinaridade e multiplicidades.

 

 

HISTÓRICO

Em 2017, aconteceu a edição piloto da Semana da Educação Matemática, junto a VI Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), que teve como tema: "A Matemática está em tudo"! Dado o êxito dessa experiência, em 2018, demos início a nossa I Semana da Educação Matemática do IFSP, Câmpus Hortolândia. O evento ocorreu em maio, mês do dia nacional da Matemática que é comemorado dia 06, abarcando, por meio de palestras e oficinas, temas como: inclusão, modelagem, BNCC, desafios de aprender e ensinar matemática, softwares matemáticos, como o GeoGebra, e estatísticos, como o R. Foi um amplo escopo de atividades que envolveram a comunidade interna e externa do Câmpus.

 Em 2019, a II Semana da Educação Matemática também ocorreu em maio, na tentativa de manter a tradição da data no mês da Matemática. A segunda edição proporcionou palestras sobre: o fantástico mundo da Matemática, práticas culturais de ensinar com a internet em um ambiente híbrido, a matemática e as desigualdades sócio-raciais, e uma introdução sobre as estrelas. Diferente da primeira edição, a segunda abriu espaços para apresentações de trabalhos dos estudantes do curso e de professores da região. 

O formato do evento estava se moldando de acordo com a realidade do público alvo e participante. Nesse sentido, em 2020, precisamos nos reinventar para que a III Semana da Educação Matemática acontecesse, visto que  o mundo enfrentava um dos seus maiores desafios, a luta contra a COVID-19. Assim, de forma  articulada com a IX Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, a III Semana da Educação Matemática aconteceu em novembro, no formato remoto emergencial. Tivemos palestras, no formato de lives, que abordaram temas como: inclusão, pensamento computacional, matemáticas negras, o percurso de novos pesquisadores, dentre outras. Além disso, os participantes também puderam apresentar seus relatos de experiência ou de pesquisa.

 Em 2021, ainda no ensino remoto, mas em um momento em que as pessoas já estavam mais adaptadas a esse formato emergencial, a IV Semana da Educação Matemática voltou a ocorrer no mês de maio. O tema abordado foi “Docência Matemática: aprendizagens, desafios e possibilidades" e o formato da edição contribuiu para o alcance de mais participantes, evidenciando-se assim, a participação de professores de comunidades externas na região. O evento contou com palestras que abordaram temáticas como: aprendizagem docente, desafios do ingresso na carreira docente, pensamento computacional e ensino e inclusão. Além das sessões de comunicações de experiências e científicas, que ocorreram em três dias do evento, e da atividade cultural, que reuniu diversas expressões artísticas de estudantes, professores e funcionários do IFSP e de algumas escolas. Foi um momento arrebatador em que pudemos descobrir diversos talentos, em um período em que a tensão estava presente na vida da maioria das pessoas devido ao contexto pandêmico. A quarta edição contou, pela primeira vez, com a ilustre participação, na mesa de abertura, da Dirigente Regional de Ensino da cidade de Sumaré, Elisete Aparecida Flória, junto a equipe gestora do Câmpus. Tal participação foi um marco da parceria do IFSP com as escolas da região que têm se fortalecido cada dia mais.

Nesse prisma, em 2022, a V Semana de Educação Matemática foi pensada de forma a evidenciar as trocas entre o IFSP e as escolas da Educação Básica, com o tema: "A Educação Matemática nas articulações entre o IFSP e escolas". Espera-se o fortalecimento de parcerias, a ampliação do diálogo e das trocas, de forma que as discussões sobre o ensino não sejam distanciadas da prática que ocorre nos contextos das escolas. Apesar do formato presencial do evento, com a intenção de oportunizar que o máximo de pessoas tenham acesso ao conteúdo das atividades, algumas delas serão disponibilizadas no formato assíncrono em nossos canais. 

 

 

EDICÕES ANTERIORES

Site de IV Semana de Educação Matemática, CLIQUE AQUI.

Site de V Semana de Educação Matemática, CLIQUE AQUI.

 

 

 

 

O PIBID é um programa da Política Nacional de Formação de Professores do Ministério da Educação (MEC) que visa proporcionar aos discentes dos cursos de licenciatura sua inserção no cotidiano das escolas públicas de educação básica. Para o desenvolvimento dos projetos institucionais de iniciação à docência, o programa concede bolsas aos licenciandos, aos professores das escolas da rede pública de
educação básica e aos professores das Instituições de Ensino Superior (IES).

 O programa oferece bolsas de iniciação à docência aos alunos de cursos presenciais que se dediquem ao estágio nas escolas públicas e que, quando graduados, se comprometam com o exercício do magistério na rede pública. O objetivo é antecipar o vínculo entre os futuros mestres e as salas de aula da rede pública. Com essa iniciativa, o Pibid faz uma articulação entre a educação superior (por meio das licenciaturas), a escola e os sistemas estaduais e municipais.

A intenção do programa é unir as secretarias estaduais e municipais de educação e as universidades públicas, a favor da melhoria do ensino nas escolas públicas em que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) esteja abaixo da média nacional, de 4,4. Entre as propostas do Pibid está o incentivo à carreira do magistério nas áreas da educação básica com maior carência de professores com formação específica: ciência e matemática de quinta a oitava séries do ensino fundamental e física, química, biologia e matemática para o ensino médio.

Os coordenadores de áreas do conhecimento recebem bolsas mensais de R$ 1,2 mil. Os alunos dos cursos de licenciatura têm direito a bolsa de R$ 350 e os supervisores, que são os professores das disciplinas nas escolas onde os estudantes universitários vão estagiar, recebem bolsa de R$ 600 por mês.

Podem apresentar propostas de projetos de iniciação à docência instituições federais e estaduais de ensino superior, além de institutos federais de educação, ciência e tecnologia com cursos de licenciatura que apresentem avaliação satisfatória no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Os estabelecimentos devem ter firmado convênio ou acordo de cooperação com as redes de educação básica pública dos municípios e dos estados, prevendo a participação dos bolsistas do Pibid em atividades nas escolas públicas. 

 Editais e Maiores informações pode ser acessadass no site institucional do IFSP e também no site do MEC