O IFSP Campus Hortolândia, através da parceria entre a Pró-Reitoria de Extensão, Coordenadoria de Extensão e Coordenação do Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática divulga o cadastro do curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática subsequente no Programa Jovem Aprendiz.

Requisitos para o Programa Jovem Aprendiz:

  • Possuir idade entre 14 e 24 anos (incompletos);
  • Estar regularmente matriculado e frequentando o Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática;
  • Ter Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
  • Disponibilidade de vagas pela empresa para o Programa Jovem Aprendiz;

Acessar mais informações referente ao Programa Jovem Aprendiz no Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática

O programa Jovem Aprendiz foi instituído de acordo com a Lei n° 10.097/2000 e regulamentado pelo Decreto n° 5.598/2005. Segundo a Lei da Aprendizagem, um jovem aprendiz é aquele que está estudando em uma instituição pública ou privada e trabalhando ao mesmo tempo. Neste meio tempo, o jovem receberá uma formação única
para a profissão em que está se profissionalizando. As vagas para aprendiz são, exclusivamente, para alunos dos cursos técnicos, na modalidade subsequente.

Através do programa de aprendizagem, as empresas contratam jovens por período determinado, atendendo a quota de aprendiz e capacitando esses recursos humanos, os quais poderão fazer parte do quadro de funcionários da referida empresa, além de incentivar o desenvolvimento efetivo dos futuros profissionais do Brasil.

Para participar do programa Jovem Aprendiz, o estudante deverá estar matriculado regularmente e frequentando o curso Técnico Subsequente em Manutenção e Suporte em Informática, além de possuir idade entre 14 e 24 anos (incompletos). A idade máxima não se aplica a aprendizes com deficiência.

A grande vantagem, comparando-se ao estágio, é que no Programa Jovem Aprendiz a contratação se dá obrigatoriamente por registro em Carteira de Trabalho, o que confere os direitos comuns a todos os trabalhadores contratados sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O programa funciona com as empresas cadastradas procurando as instituições de ensino para solicitar indicações de possíveis aprendizes. Em regra, a jornada de trabalho de um jovem aprendiz não poderá exceder seis horas diárias.